Arquivo da Tag: Revestimento

Porta Talheres

Porta talheres feito com Tecidos Digitais da Estilotex.

 

Como guardar as facas de cozinha?

 

Nada de deixar os talheres jogados em sua mesa, além de não ser higiênico os talheres se misturam e pode ser um perigo!

 

Com as divisórias que o porta talheres tem, os garfos não se misturam com as facas e nem com as colheres, o porta talheres com certeza deixará a sua cozinha mais prática e organizada, além de trazer um charme para o ambiente!

 

IMG_5618 1

Clique aqui e acesse a receita deste Lindo Porta Talheres com Tecidos Digitais Estilotex, by Catiane Gobby.

 

Chega de bagunça nos armários, agora a sua cozinha terá um charme todo especial. Serve também  para organizar os temperos o vidro de azeite, óleo, sal, etc.

 

Tecido de Algodão Cru Flamê

O Tecido de Algodão Cru da Estilotex é conhecido por sua forma natural, versátil, confortável, com aspecto rústico e durável, apto a resistir a todos os climas. Com a presença do fio Flamê em sua trama, o tecido se torna ainda mais sofisticado e cheio de beleza.

Além de ser um produto ecologicamente correto, pois não recebe nenhum tipo de beneficiamento químico, tornando o processo socialmente justo com inúmeras razões que incentivam o consumo consciente de produtos ecológicos, que geram renda e comunicam valor.

As principais utilizações do Tecido de Algodão Cru estão na forma de vestuário, artesanato e decoração em geral, devido a sua leve textura, ao seu brilho fosco e toque aconchegante.

 

Flamê 1

Poltrona feita com Tecido de Algodão Cru Flamê.

 

Flamê 2

Poltrona feita com Tecido de Algodão Cru Flamê.

 

Poá no Bule?

foto_1115

Com esse friozinho gostoso, nada melhor do que reunir a família e amigos para um chá. O momento pode ficar ainda mais gostoso se a mesa for preparada com amor e claro, elegância. A Angela Toledo revestiu todas a peças com POÁ (da Estilotex), observem o luxo.

Quer saber mais sobre a tradição do Chá?

O chá chegou à Inglaterra por volta de 1662, junto com a princesa portuguesa Catarina de Bragança, que viria a se tornar mulher do rei Charles II. Mas foi só em meados do século XIX que a prática de tomar chá à tarde virou moda, graças à duquesa de Bedford, Anna Maria Russell.

O motivo é simples, e muito nobre: no fim da tarde, entre o almoço e a janta, sempre batia a fome na duquesa. Para resolver o problema ela fazia uma boquinha: uma xícara de chá (servido com leite e açúcar) e um lanche. Com o tempo, seus amigos foram convidados a partilhar a experiência e a mesa se tornou palco para pequenos sanduíches, bolos e geleias.

Hoje em dia há várias opções para se tomar o chá das cinco, que não necessariamente precisa ser neste horário. E existe até mesmo sommeliers de chá! Sim, uma profissão dedicada aos sabores, texturas e aromas da bebida. Considerado praticamente uma refeição, tamanha a quantidade de comes e bebes, o chá da tarde se tornou uma celebração entre amigos e programa obrigatório por quem passa pela Inglaterra.

Fonte: Cultura Inglesa